quinta-feira, 19 de junho de 2008

Oportunidade para bailarinos

Em sua 5ª montagem, Margaridas descobre o universo da escritora estadunidense Elizabeth Bishop.

Universo demarcado pelo porto seguro da vida dessa escritora, como ela própria descreveu, sua casa no município de SAMAMBAIA. Esse espetáculo percorre a dramaturgia de como o Brasil transformou a vida da poetisa americana que viveu aqui durante 15 anos, nas décadas de 50 e 60, em companhia de seu grande amor, de uma aristocrática família carioca.

A matéria de criação, para esse projeto, é a história do país entre os chamados Anos Dourados e o começo do regime militar. O Brasil da Bossa Nova, do Cinema Novo, que lançou, com a construção de Brasília, a moderna arquitetura brasileira, e conquistou na Suécia a primeira Copa do Mundo, coincide com o período mais produtivo da carreira literária de Bishop.

Ela escreveu aqui parte substancial de sua obra enquanto morava em SAMAMBAIA, perto de Petrópolis. Em 1956 ela recebeu o Prêmio Pulitzer de Poesia. Foi aqui, ao lado de Lota - Lota Macedo Soares, que Bishop viveu os anos mais felizes de uma vida marcada pela orfandade, a depressão e o alcoolismo.

Bishop também traduziu para o inglês, poemas de autores brasileiros principalmente Carlos Drummond de Andrade o qual manteve uma relação estreita.Pode-se dizer que o motivo inicial da permanência de Bishop no Brasil foi a ingestão de um caju, que lhe provocou uma crise alérgica, inchando e deformando suas mãos e rosto.

A atenção dispensada pelos brasileiros a encantou, e mais ainda a declaração de amor que Lota lhe fez. Tendo vivido com os avôs maternos numa aldeia de pescadores, a paisagem de Petrópolis fez com que retomasse um olhar sobre sua própria infância. Por volta dos sete anos foi morar com os avós paternos, cercada de pessoas sisudas. No conto "A Ratinha do Campo", escreve que se sentia 'com o mesmo status do cachorro da casa'.

Lota Macedo Soares também sofreu com problemas familiares. Desgastada emocionalmente com a separação dos pais, resolveu morar sozinha aos 25 anos, o que já significou um pequeno escândalo na alta sociedade. Retornando de um período em Nova York, quis construir seu retiro no terreno da serra recebido como herança, no bairro de Samambaia, em Petrópolis.

Com ajuda do arquiteto Sergio Bernardes projetou a casa de Samambaia, um marco da arquitetura brasileira moderna. Nos sete anos que duraram as obras, Lota e Bishop viveram em condições inóspitas, sem água, sob a luz de lampião.Embora tenha sido candidato a prefeito do Rio de Janeiro nos anos 80 pelo Partido Anarquista, Sergio Bernardes manteve-se distante da política partidária e alheio ao acirramento do clima político no país a partir de 64.

Realizou, nos anos 70, vários projetos públicos em Brasília, como o mastro da bandeira na Praça dos Três Poderes, o qual gerou grande polêmica pública. Só isso explica, a nosso ver, seu quase banimento da historiografia da arquitetura no Brasil produzida nos anos 80-90.

Samambaia - município Petrópolis e riacho/ Samambaia – regional do DF e córrego,Bishop – Lota – Bernardes, literatura/modernismo/arquitetura - construção de Brasília

Aparecem como coincidências e paralelismos criando aí um nicho amplo de criação na linguagem híbrida dança – literatura.

Os poemas de Bishop possuem um material imagético, sensível e provocador estabelecendo relações claras com o movimento. Outra particularidade interessante é a metamorfoseação de objetos e animais com o corpo humano. E o corpo-máquina, característica de um desejo de progresso tão latente em nossa cultura na literatura e nas estéticas de dança moderna com norte para dança contemporânea.E assim com esse rico material, Margaridas olha a escritora, Samambaia/DF, anos 50 e 60 – e quer criar na atmosfera dessa cidade um espetáculo de dança/literatura, utilizando-se do espaço físico do Parque 3 Meninas em Samambaia na QR 609/611 para 4 apresentações de estréia e estender depois para Sobradinho, Guará, Taguatinga e Plano Piloto.

Seleção de bailarinos para "Samambaia"será dividida em três etapas:

1) Seleção de Currículos e Carta de intenção

Currículo detalhado e carta dissertando qual a real motivação em participar dessa montagem. Enviar para:. margaridasdance@gmail.com - até 23 de junho às 24h

2) Audição

Dia 27 de junho às 15h no Centro de Dança do DF.

3) Entrevistas
agendamento a partir de 30 de junho

Informações e dúvidas: enviar e-mail para: margaridasdance@gmail.com

Desde 1996, Laura Virgínia investiga criar dança e literatura, de forma híbrida, resultando em diversos trabalhos solos e em grupo. Em 2004, funda e dirige o grupo Margaridas, dando continuidade a sua investigação com os espetáculos: "Plenas Mulheres" inspirado nos textos de: Clarice Lispector, Simone de Beauvoir e Virginia Woolf, 2004; "Campo de Flores" inspirado nos poemas de Carlos Drummond de Andrade, 2005 , "Tu não te moves de ti" inspirado no romance-tese de Hilda Hilst, 2006 " e "Rainha" inspirado em poemas de escritoras negras
--
margaridas grupo de dança
55 61 3879 5523
margaridasdance@gmail.com
www.margaridasdance.multiply.com

Farol Comunitário TV Web