quarta-feira, 2 de julho de 2008

Comunicado APM, Simesp, Academia de Medicina

Comunicado aos cidadãos

A Associação Paulista de Medicina (APM), o Sindicato dos Médicos de São Paulo (SIMESP) e a Academia de Medicina de São Paulo vêm a público posicionar-se quanto às reportagens publicadas hoje, 1º de julho de 2008, em periódicos paulistas sobre supostos “questionamentos” administrativos no âmbito do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) em avaliação por processamento pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

A APM, o Simesp e a Academia têm absoluta convicção da lisura com que o Cremesp é dirigido historicamente, e particularmente nos últimos anos. À frente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, estão médicos idôneos, estão homens e mulheres idôneos comprometidos com a transparência administrativa, com a boa gestão e, ao mesmo tempo, conscientes da importância desse órgão: um patrimônio da medicina paulista e brasileira, dos médicos e dos cidadãos.

No processo em andamento, motivado por denúncias anônimas e aparentemente com fins eleitoreiros, o Cremesp iniciou por conta própria, e antes de intimado a prestar quaisquer esclarecimentos, uma sindicância administrativa interna para apuração dessas denúncias. Houve, inclusive, uma auditoria específica do Conselho Federal de Medicina, que não apontou irregularidade alguma.

Ao longo de sua história, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo tem se posicionado em defesa dos princípios éticos e do estado de Direito. Se hoje os médicos brasileiros são apontados em diversas pesquisas de opinião pública como uma das instituições de mais credibilidade entre os cidadãos, isso muito se deve à postura séria do Cremesp de lidar com o exercício da medicina sem corporativismo, de forma ética, e de colocar sempre em primeiro plano os interesses da população, seja no campo da saúde quanto nos terrenos da probidade e das liberdades democráticas.

A APM, o SIMESP, a Academia e seus dirigentes, não apenas como médicos, mas também como pacientes e cidadãos, se solidarizam com o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, inclusive por estar participando ativamente do processo de apuração das denúncias, muitas delas anônimas. Como o próprio Cremesp, queremos que todas elas sejam minuciosamente apuradas e que a verdade seja a grande vitoriosa desse processo.

São Paulo, 1º de julho de 2008

Assessoria de Imprensa
Acontece Comunicação e Notícias
Heloísa Gonçalves ou Chico Damaso

Farol Comunitário TV Web