sábado, 23 de agosto de 2008

Mutirão realiza operações em crianças com hérnia em Brasília

Equipe realiza cirurgias pediátricas no Hospital Regional da Asa Sul (HRAS). Na cidade, mais de 60 pessoas, entre médicos, enfermeiros e auxiliares, participam do 2º Mutirão Nacional de Cirurgia da Criança Foto: Antônio Cruz/ABr
Priscilla Mazenotti
Repórter da Agência Brasil
Brasília - A Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica faz hoje (23) um mutirão nacional de cirurgia pediátrica. Ao todo, participam 23 hospitais públicos em 13 estados. Em Brasília, serão operadas 100 crianças entre 2 e 12 anos que sofrem de hérnia inguinal.

“Optamos pela hérnia por ser uma cirurgia ambulatorial, que não requer internação, pelo risco de complicação que pode ser sério e levar ao óbito e pelo número de crianças na fila de espera”, explicou a chefe da cirurgia pediátrica do Hospital Regional da Asa Sul (HRAS), Roselle Bugarin.

Maria Eduarda, 8 anos, é uma dessas crianças. Na fila por uma cirurgia há seis anos, hoje, finalmente, será operada. “Estou mais ou menos com medo”, disse enquanto brincava com outras crianças no auditório do hospital. A mãe dela, Francisca de Souza Silva, elogiou a iniciativa. “Aqui é mais rápido. Eu estava na fila do posto de saúde e, se fosse por lá, não teria conseguido até agora”, desabafou.

A auxiliar de enfermagem Aidê do Carmo é uma das 60 pessoas que trabalham no mutirão em Brasília. Ela é responsável por orientar as mães que aguardam com seus filhos. “Eu peço que a mãe tenha um pouco mais de paciência porque o filho dela, em vez de esperar dois anos na fila, está sendo operado hoje.

Ela está cansada, veio de longe, a criança está com fome, mas o benefício que ela vai ter é não se preocupar mais com a cirurgia do bebê. Ele vai operar, vai ficar bem e ela vai ficar despreocupada”, disse.

Durante todo o dia de hoje, serão utilizadas cinco salas de cirurgia do HRAS para tratar as crianças.

Farol Comunitário TV Web